(Ser)eno

serenidade

Uma paz inconfundível.

Uma tranquilidade absurda.

Uma sensação leve.

Uma viagem íntima,

Ao âmago interior.

Cuja essência vibra

Paulatinamente

Evocando o Ser.

Mais paz de espírito,

Por favor.

A cada devaneio,

Uma loucura.

A cada intento,

Um propósito.

Vida breve,

Leve brisa.

Me leve a um estado

De plena serenidade.

alguns inícios

Por que é tão difícil sair da zona de conforto?

Por que procrastinamos?

Porque temos medo.

Porque temos medo da opinião dos outros.

Eu mesma sofro muito disso e por isso hoje abri esse blog.

Eu quero escrever e escrever, quantas vezes eu bem entender. Já esperei muito tempo e enquanto não sai meu livro (rs), quem sabe daqui não surjam novos livros. Interessante que já deixei passar muita coisa que já escrevi/pensei/criei e já ouvi muita crítica dos meus trabalhos acadêmicos. Interessante pois não me conformo como a opinião dos outros afeta tanto a nossa – ou a minha pelo menos.

Me cobrei muito já e aqui quero expor sem preocupações.

Eu sou amiga íntima dos devaneios, mas creio que pelo menos alguma coisa que eu disser, por mais ínfima que seja, refletirá em alguém de um modo ou de outro, pois pra mim faz sentido. E fazendo sentido para mim é o que importa. Mas se fizer pra você também, quer dizer que encontrei pessoas assim como eu.

Nesse mundo de solitários conectados, vamos nos ligando a algo que remeta à nossa essência e tentamos nos conectar a algo. Eu estou tentando com práticas xamânicas, tentando me (re)conectar à natureza e ser mais feliz com simplicidade.

Mas então por que me preocupo com um legado tecnológico? Além do blog, espero publicar meus dois livros infantis e eu também queria um canal no youtube, um podcast, queria tantas coisas. Mas vamos por partes.

Eu quero um legado, sinto necessidade disso. Por quê? Preciso superar meu ego, mas também quero dar orgulho aos meus. Estou lutando com meu narcisismo e nem me identifiquei ainda. Quem sou eu? A Lady in Red, mãe do Patrick [in memorian] , Apolo Rocket [in memorian] , Dee Dee Ramone [in memorian] , Dionísio [in memorian] e de muitos filhinhos que virão … E esse apelido eu devo ao meu amor, pois eu sou a dama de vermelho dele ^^

Um suspense vai bem. Quem sou eu? Como sou? Imagine.

Mas me diga você: estou sozinha nessa ou alguma coisa nisso tudo faz sentido?

Final de Ano

Seu dezembro está dez?

Chegou o tão esperado final de ano.

É também um fechamento de ciclo. De novos que ainda virão. Claro, não estamos livres da abertura de novos ciclos – ainda bem!

É nessa época que ficamos mais reflexivos, mais família e buscamos renovar nossas energias. Eu pelo menos busco circular e fazer fluir a energia da casa, organizando minhas coisas e doando.

Há quem não se importe com a data – e tudo bem -, mas meu ponto aqui é sobre o que a data em si representa. Muito mais que os presentes, deveria ser útil parar unir famílias e edificar relacionamentos. Uma vez por ano que seja, tudo bem. Já é algum começo. E é um tempo de refletirmos sobre o que passou, nossas metas, anseios … não consegui cumprir tudo aquilo que almejava neste ano e está tudo Ok, pois tenho mais um ano pela frente (e agradeço pelas oportunidades mil).

Aprendi em um curso de xamanismo que devemos agradecer este ano que está finalizando e já honrar o que virá. Achei de uma sabedoria ímpar e que faz total sentido. Devemos acreditar que todas as bênçãos neste ano foram muitas e no próximo ano serão milhares; que já tivemos e teremos muitas outras oportunidades ainda. Não se cobre tanto. Só nos resta agradecer, agradecer e agradecer. Ver propósito e sentido, na gente, no outro, na vida.

Com carinho,

Lady in Red

Crie um novo site no WordPress.com
Comece agora